sábado, 5 de abril de 2008

Sonho com Fanta Uva.

Faz um tempo, pedi um lanche no meio da tarde, um sonho, daqueles compridos que se parecem com um cachorro quente com recheio de creme, uma delícia. Para beber só tinha Fanta Uva, dos refrigerantes é o que menos gosto, mas mandei servir.
No exato momento que misturei na boca o gosto do sonho com o do refrigerante me lembrei de trinta anos atrás, quando eu estava no meu primeiro ano de colégio, 1972, era exatamente esse o meu lanche: sonho com Fanta Uva que eu tomava mais pela cor dele do que pelo sabor, no bar do colégio que ficava embaixo de uma escada de alvenaria, onde tínhamos, eu e meus colegas, que comprar umas fichinhas feitas de cartolina com o carimbo do colégio no valor do sonho e do refri para depois pedir o lanche.
Foi um retorno instantâneo ao meu passado, ao bom tempo de criança, da falta de problemas, do futuro distante e inatingível, da ausência de doenças, de morte, de poluição, de ameaças mil e de muita esperança.
Que tempo bom, que saudade.
Preciso sonhar mais, me preocupar menos com o futuro, brincar mais e comer mais sonho com Fanta Uva.

2 comentários:

Anônimo disse...

Mauro,
Lembrei de uma vez na faculdade, ou melhor, no bar "anexo", de onde a gente não saia. Encontramos uma garrafa de Fanta Uva perdida ali. A disputa pela primazia foi feia. Enfim, acho que Fanta Uva pode ser, sim, uma deixa para despertarmos para a importância de pequenas coisas tolas (e TÃO importantes). Bjs.

Dois Bits disse...

Engraçado que, hoje, nem faço tanta questão da Fanta Uva, mas no passado pelo sabor e cor era um ícone para mim.
Obrigado pela visita, apareça sempre.